Erro ao cadastrar: SQLSTATE[23000]: Integrity constraint violation: 1048 Column 'online_ip' cannot be null

A Aviação e o GRESFI - Gresfi

A Aviação e o GRESFI

A Aviação e o GRESFI

HISTÓRICO DO GRÊMIO ESPORTIVO E SOCIAL DE FOZ DO IGUAÇU - GRESFI

 

O INÍCIO

 

A história do GRESFI inicia-se no dia 15 de novembro de 1967, quando as diretorias do Esporte Clube Guairacá, do Grêmio Olavo Bilac e da Caixa Esportiva e Beneficente dos Graduados do 1º Batalhão de Fronteira se reuniram para a fusão das três associações por se tratar de congêneres.

As três associações, o Guairacá fundado no dia 17 de janeiro de 1945, O Grêmio Olavo Bilac fundado no dia 16 de dezembro de 1951 e a Caixa dos Graduados fundada em 14 de junho de 1965, tinham como principal objetivo o congraçamento familiar, cultural, recreativo e esportivo dos suboficiais, subtenentes e sargentos das guarnições militares das Forças Armadas sediadas em Foz do Iguaçu.

 

A FUSÃO

 

Diante do principal objetivo das associações e a necessidade da união dos graduados, no dia l5 de novembro de 1967 as diretorias das três associações se reuniram para a fusão do que é hoje o GRESFI.

 

O ANTIGO AEROPORTO E A ATUAL SEDE


O antigo aeroporto de Foz do Iguaçu foi construído em 1941 pelo Ministério da Agricultura, porém sempre foi administrado pela Aeronáutica através do antigo Departamento de Aviação Civil.

Na década de 1960 a Aeronáutica sentiu a necessidade de transferir o aeroporto para outra área, pois as operações aéreas e a segurança de vôo estavam sendo afetadas com o crescimento da cidade em seu entorno, o terminal de passageiros não atendia mais a demanda e as empresas aéreas solicitavam pista de asfalto para pouso das aeronaves providas com motores à reação (jatos).

Em 1972 o aeroporto foi transferido para a atual área, ficando a Aeronáutica com a responsabilidade de transferir todo o patrimônio para seus antigos proprietários ou herdeiros.

A área onde hoje é a sede do GRESFI foi devolvida para os proprietários Sr. Antonio Ferreira Damião Netto, o qual transferiu por interveniência da Aeronáutica para o clube através da Escritura Pública de Doação, lavrada em data de 25 de setembro de 1972.

 

LOCAL NOSTÁLGICO

 

            Em se tratando de recordações do passado, nada mais singela do que a lembrança do período em que, onde hoje é a sede do clube foi o primeiro terminal de passageiros da região oeste do estado.

O Suboficial Meteorologista da Aeronáutica Arsonval Cordeiro Mota, hoje aposentado, conta quando visita as antigas instalações do aeroporto sente saudades dos tempos áureos daquela época apesar de toda dificuldade para manter os equipamentos em perfeito funcionamento. Chegou à cidade na graduação de Cabo na década de 1950 e nunca mais foi embora chegando à graduação de Suboficial.

O Suboficial da Aeronáutica, Haroldo Carlos Alvarenga, primeiro Controlador de Vôo em Foz do Iguaçu, também aposentado, desembarcou em Foz do Iguaçu a bordo de um DC3 da Força Aérea em agosto de 1968 juntamente com Vicente Alves. Na época eram Terceiros Sargentos recém chegados da Escola de Formação de Sargentos em Guaratinguetá-SP. Disse quando desembarcou, não via a hora de ir embora, entretanto já está na cidade há 40 anos e gosta tanto de Foz do Iguaçu que nem pensa em voltar para sua cidade natal. O Alvarenga também foi o responsável por zelar pelo patrimônio e documentos do antigo aeroporto até a doação e posse por parte do GRESFI.

O Suboficial Valmir Eugenio Schmidt, atualmente militar reformado da Força Aérea Brasileira, chegou à cidade na década de 1960, casou e teve dois filhos e nunca mais foi embora também. Foi o principal responsável pela transferência do antigo aeroporto.

Quando ainda aeroporto, o local foi palco de visitantes ilustres como Walt Disney, ator Henry Fonda, atriz Grace Moore, 1ª Dama Sra. Sarah Kubitscheck, Presidentes do Brasil Getulio Dornelles Vargas, Juscelino Kubitscheck, João Goulart, Humberto de Alencar Castelo Branco e Presidente do Paraguai Alfredo Stroessner.

 

OS PIONEIROS

 

À época os graduados do Exército e da Aeronáutica com o apoio do Comando do então 1º Batalhão de Fronteiora e do Destacamento de Proteção ao Vôo se uniram para conseguir que a área do antigo aeroporto fosse transferida para o GRESFI.

Em 1967, outro pioneiro, o então Sargento Alípio de Souza Neves servia no 1º Batalhão de Fronteira, atual 34º BIMTZ, quando redigiu a ata de fundação e o Estatuto Social do então mais novo clube da cidade. Em 1980 o Sargento Alípio foi eleito Presidente da Diretoria e, na sequencia foi promovido ao posto de 1º Tenente.

Em 1967 o Sargento Lisboa do Exército Brasileiro foi o primeiro Presidente do GRESFI.

Na década de 1970 a Diretoria resolveu abrir as portas do clube à sociedade iguaçuense aceitando em seu quadro de associados, civis convidados por militares, o que perdura até os dias atuais.

 

O ESPORTE

 

            Dos clubes tradicionais da cidade o GRESFI e o ABC são os os únicos que investiu forte no esporte em especial o futebol. Detém inúmeros títulos nas diversas categorias amadoras de Foz do Iguaçu, destacando-se, Campeão Amador de 1972, Bicampeão Juniores de 1967 e 1996 e Campeão Veteranos do Torneio da Paz em 2002. Destaque especial à equipe do futebol feminino, criada em 2000 e já naquele ano participou do Campeonato Paranaense da categoria, alcançando a 3ª colocação e em 2001, sangrando-se Campeã Estadual, inclusive tendo quatro atletas convocadas para a Seleção Brasileira Sub 19.

           

AS GRANDES FESTAS

 

            O GRESFI foi palco de grandes eventos no passado, tais como shows com Moacir Franco e Marco Antonio, grandes concursos regionais e festas de carnavais quando ainda a população prestigiava as marchinhas.

            Atualmente o GRESFI arrendou o salão as quintas e aos domingos para uma empresa que promove baile da 3ª idade entre 16h e 23:30h.

 

AS INSTALAÇÕES ATUAIS

 

Hoje o GRESFI possui uma sede com piscinas, canchas de bocha, quadra de vôlei de areia, ginásio poliesportivo, campos de futebol e churrasqueiras, além de contar com uma área de 12.000 m² arrendada à Autoeste Veículos.

Possui também uma área central com 25 salas comerciais, um campo de futebol e uma churrasqueira.

 

AS ÁREAS DA UNIÃO

 

O GRESFI possui um contrato com a Secretaria de Patrimônio da União, SPU, na área onde estão instaladas as piscinas, uma churrasqueira, uma cancha de bocha, uma quadra de vôlei e um campo de futebol.

 

PROJETO PARA O FUTURO

 

Para se falar em projeto para o futuro não podemos esquecer do passado quando a atual sede do GRESFI abrigava a antiga estação de passageiros do primeiro aeroporto da cidade. O Projeto prevê, além da revitalização de todas as instalações do clube, a criação do MUSEU E CENTRO CULTURAL DO IGUASSU visando revitalizar o bem existente, recompondo as fachadas e implementando um novo imobiliário urbano situado no Bairro Jardim América, às margens da Avenida Juscelino Kubistchek.

O processo de revitalização no prédio, que se encontra numa das avenidas mais importante da tríplice fronteira e de acesso ao Paraguai, poderá proporcionar um espaço multiuso de valor econômico e cultural, utilizando as ciências da comunicação e da informática que beneficiará a população e o turismo, através do estímulo às atividades culturais e de entretenimento.
A reabilitação da estrutura e arquitetura favorecerá de forma efetiva o desenvolvimento cultural, social e econômico, no qual, com a implantação de novos investimentos e com a eficiência na aplicação de recursos, serão criadas novas oportunidades de desenvolvimento com foco na autosustentabilidade.

Notadamente, a iniciativa é relevante, como ação prioritária, por apresentar uma alternativa de desenvolvimento integrado. Os espaços constituídos serão: Espaço da Marinha, do Exército e da Aeronáutica, Salão de Exposições Itinerantes, Casa de Manutenção (Área Técnica), Torre de Controle, Sala do Rádio Telegrafista, Sala do DAC, Sala de Repouso dos Pilotos, Piano Bar, Café Temático, Loja de Artigos Especiais, Arena Cultural, Parque Temático e Administração.
O prédio ainda preserva quase toda a sua originalidade com pequenas modificações que serão corrigidas.

Um fator essencial para o sucesso do empreendimento será a implantação de programas e ações que objetivem a ampliação da permanência dos visitantes, visando ampla utilização do espaço. Isso poderá ser obtido através de campanhas de conscientização cultural e sensibilização turística com uma boa estratégia de marketing que reforce a divulgação para realização de roteiros turísticos integrados.

O projeto atual apresenta uma proposta de reuso do prédio histórico, criando um ambiente amplo para a exposição de materiais bélicos antigos utilizados pelas Forças Armadas e peças antigas da cidade, podendo para o futuro se tornar até um parque temático a exemplo de tantos outros existentes no mundo.

De acordo com o projeto original do arquiteto Ângelo A. Murgel, as características do prédio atual serão mantidas, bem como o seu interior e sua fachada externa.
Para que o projeto atinja seus objetivos a diretoria do GRESFI pretende desenvolver parcerias através de articulação e cooperação entre diversas entidades, possibilitando elaborar e cumprir um calendário de eventos, visando atrair os turistas e a população iguaçuense; sensibilizar os órgãos públicos e privados para realizar investimentos em benefício do Museu e Centro Cultural do Iguassu, fazendo uso de incentivos criados pelas leis de incentivo à cultura (federal, estadual e municipal) e do financiamento participativo, objetivando evitar o aniquilamento do patrimônio cultural; estimular o desenvolvimento de programas, pesquisa histórica e outros correlatos, em parceria com institutos educacionais, universidades, instituições públicas e privadas; promover o desenvolvimento sustentável do turismo, buscando a harmonia entre o crescimento econômico, a preservação ambiental, social e fortalecendo a identidade e os valores culturais das comunidades.
Com essas ações implementadas o GRESFI desenvolverá um projeto inédito na cidade inspirada em rígidos conceitos de urbanização e valorização do prédio antigo, que poderá vir a ser tombado pelo Patrimônio Histórico e Cultural.

 

EX-PRESIDENTES

 

1967 Á 1969 – MOACIR LISBOA

1969 Á 1971 – ELOY ERNESTO BELORINI

1971 Á 1975 – NILSON DE FREITAS SANTOS

1975 Á 1977 – ANTONIO KELLER FILHO

1977 Á 1981 – RAFAEL THEODOROVICZ

1981 Á 1983 – EDY EPUMUCENO

1983 Á 1986 – ANTONIO PASSOS MACHADO

1986 Á 1988 – ALIPIO DE SOUZA NEVES

1988 Á 1990 – HERMENEGILDO MARIOT

1990 Á 1992 – GEREMIAS BRITES DE MORAES

1992 Á 1995 – ELI CARVALHO RIBEIRO

1995 Á 1996 – FRANCISCO JOSÉ NORONHA

1996 Á 1998 – MARCOS MANOEL PINTO

1998 Á 2000 – VANDER DONIZETE GOMES DE SOUZA

2000 Á 2004 – PAULO CEZAR FERREIRA JUNIOR

2004 Á 2006 – GEREMIAS BATISTA

2006 Á 2008 – ILDO MEIRA LEITE

2008 A 2009 – ANTENOR SOARES PADILHA JUNIOR

2009 A 2014 – RAUL LUIZ CORRÊA

2014 A 2016 – JULIO CESAR GARCIA BARROS

2016 A 2018 – ELIO ANTONIO SIMONETO

 

FONTES:

 

GRESFI

1º Ten. Ref Alípio de Souza Neves - 2008

SO R1 Haroldo Carlos Alvarenga - 2004

SO R1 Arsonval Cordeiro Motta – 2004

SO R1 Valmir Eugênio Schmidt – 2006

1º Sgt R1 Raul Luiz Corrêa

DTCEA-FI - 2004

COMAR V - 2004

34º BIMTZ - 2004

Atendimento